RADIO IPB

sexta-feira, 16 de março de 2012

Igreja Luterana apóia lei que permite igrejas a realizarem casamentos gays




A primeira-ministra da Dinamarca, Helle Thorning-Schmidt, anunciou que governo do país planeja que entre em vigor em 15 de junho uma nova lei que permitirá casamentos homossexuais nas igrejas do país. “Neste ano já poderemos ver os primeiros casais homossexuais se casarem em igrejas dinamarquesas”, afirmou a primeira-ministra, que já considera a aprovação da lei como certa, já que conta com amplo apoio dos congressistas.
Na Dinamarca não existe separação entre Estado e igreja, e há uma década casais homossexuais tem permissão para constituírem união civil. Pela lei dinamarquesa os casais gays podem, atualmente, receber uma espécie de bênção nas igrejas.
O governo liderado por Helle Thorning-Schmidt ganhou as eleições em setembro de 2010, e já havia anunciado sua intenção de permitir o casamento gay nas igrejas. A líder do governo afirmou ainda que considerou um passo “importante” e “natural” que na sociedade dinamarquesa “seja reconhecida a diferença e a igualdade dos indivíduos, independentemente de quem for”.
Segundo a agência EFE, a lei conta também com o apoio de grande parte da liderança da Igreja Luterana, que é a religião oficial do país. Segundo estimativa feita pelo presidente da Associação de Pastores Dinamarqueses, Per Bucholdt Andreasen, 70% dos ministros da Igreja Luterana está disposta a realizar casamentos homossexuais nos templos. Porém a lei provocou oposição por parte dos setores mais conservadores da Igreja Luterana no país.
A lei não tornará obrigatório que os líderes cristãos realizem os casamentos em detrimento de sua liberdade religiosa, já que permite que cada pastor possa decidir individualmente se celebrará ou não o casamento entre pessoas do mesmo sexo.
A nova lei colocará a Dinamarca ao lado de outros países que já permitem o casamento entre pessoas do mesmo sexo, como Holanda, Espanha, Bélgica, Canadá, África do Sul, Noruega, Suécia, Portugal e Islândia.
Fonte: Gospel+

Nenhum comentário:

Postar um comentário