RADIO IPB

sexta-feira, 17 de agosto de 2012

A Armadura de Deus I




(Efésios 6.14, 15)
Estas são algumas armas espirituais essenciais para o combate cristão. Todos estamos convocados para a batalha, pois já recebemos a armadura do Senhor e já fomos fortalecidos na força do Seu poder. Agora, só nos resta vesti-la toda, e sempre. Quando, quanto e como você tem usado suas armas espirituais para resistir as dificuldades da vida?

1.      O Cinto da Verdade (v. 14a)
O soldado romano usava um cinto de couro para juntar sua túnica e afivelar sua espada. Isso lhe dava segurança e o liberava para lutar. Para que possamos ficar firmes contra as tentações devemos usar a verdade das Escrituras, a sã doutrina, como um cinto, para também nos dar confiança e prontidão para agir. A Bíblia deve ser usava como uma bússola, um manual, um mapa para nos direcionar no caminho da ética e da obediência, deve governar toda a nossa vida. Quando optamos por usar sempre a verdade, ficamos mais fortes, mais honestos e mais sinceros para lutar contra toda mentira e falsidade. O diabo é o pai da mentira, e de todo engano. Jesus é a Verdade! Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará (Jo 8.30). Conheça mais de Jesus. Leia bons livros, estude os Credos, Confissões, e principalmente, leia a Bíblia todos os dias.

2.      A Couraça da Justiça (v. 14b)
A couraça romana era uma malha de ferro que protegia o peito e o abdômen do soldado das flechas espadas ou lanças. Protegia seus órgãos vitais (coração, pulmão, rins, etc.), onde, na época, acreditava-se ser o centro da vida, de onde vinham as emoções, sentimentos, vontade, volições, etc. Desta forma, nossa mente, emoções e vontade estão protegidas pela couraça da justiça de Deus, que vem pela fé. Deus é justificador dos que crêem em Cristo (Rm 3.26). Somos feitos justos, e isso nos protege contra as acusações de satanás (desânimo, dúvidas, orgulho, depressão, etc). “Quem acusará os eleitos de Deus? É Deus quem nos justifica...” (Rm 8.33-39). Essa impenetrável couraça não é proveniente de nossa religiosidade, intelectualismo ou justiça própria, ela vem de Deus (Fp 3.2-11). Essa justificação deve resultar em santidade de vida: valores e caráter moral, ético, reto e íntegro diante de Deus e dos homens. Use essa couraça da justificação sempre.

3.      As Sandálias do Evangelho (v. 15)
Era costume, na Antigüidade, ocultar no solo objetos pontiagudos para ferir os pés dos inimigos no campo de batalha. Precisavam ter adesão firme na luta para não escorregar e cair. Por isso usavam sandálias com solado duro e com cravos, e bem fixado com tiras resistentes para dar proteção, firmeza, mobilidade e rapidez aos soldados na guerra. O que significa que devemos ficar preparados e equipados pelo Evangelho da paz. Esse Evangelho nos dá paz e segurança, pois Deus nos reconciliou em Cristo. Ele nos protege, dá mobilidade e segurança na Palavra de Deus para não escorregar e cair nas ciladas do diabo. Ficai, agora, firmes. Vigiai e orai para não cair em tentação!

Nenhum comentário:

Postar um comentário