RADIO IPB

domingo, 15 de maio de 2011

Cuidado com os sentimentos

Outra [semente] caiu sobre a pedra; e, tendo crescido, secou por falta de umidade. — Lucas 8.6
Tome cuidado para não depositar a confiança em meras impressões ocasionais ao ouvir a Palavra. Nosso Senhor nos adverte que o coração de certos ouvintes se assemelha ao solo rochoso. A semente da Palavra brota logo que a ouvem e produz uma safra de impressões alegres e emoções agradáveis.

Mas essas sensações, infelizmente, estão apenas na superfície. Não se processa na alma nenhuma obra profunda e permanente. Assim, tão logo
esses ouvintes comecem a sentir o calor ardente da tentação e da perseguição, murcha e resseca a pouca fé que pareciam ter alcançado.

Não há dúvida que os sentimentos têm papel importantíssimo em nosso cristianismo pessoal. Sem eles não pode haver fé salvadora. Esperança, alegria, paz, confiança, resignação, amor, temor são emoções que precisam ser sentidas, se existirem de fato. Mas não se deve esquecer jamais que há sentimentos religiosos espúrios e falsos que não brotam senão do entusiasmo carnal.

É muito possível sentir prazer desmedido ou ficar profundamente alarmado diante da pregação do evangelho e ainda assim faltar totalmente a graça de Deus. As lágrimas de alguns ouvintes de sermões, e o deleite extravagante de outros, não são marcas confiáveis de conversão.

Podemos ser admiradores fervorosos dos pregadores favoritos, e mesmo assim não passarde ouvintes cujo coração é solo pedregoso. Nada deveria nos contentar, exceto a obra profunda, humilhadora e automortificadora do Espírito Santo e a nossa sincera união com Cristo.



Autor: J. C. Ryle (1816–1900)

Nenhum comentário:

Postar um comentário