RADIO IPB

sábado, 9 de junho de 2012

A Santificação (Parte 4)




A batalha contra o pecado

“Porque a carne milita contra o Espírito, e o Espírito, contra a carne, porque são opostos entre si; para que não façais o que, porventura, seja do vosso querer.” (Gl 5:17)

Chegamos ao último tópico de nossa série sobre a santificação, e terminaremos de modo bem prático, abordando a batalha individual do crente contra o pecado.

Em primeiro lugar, precisamos estabelecer que a batalha contra o pecado só começa na vida de uma pessoa quando esta é salva pela graça de Deus. No seu estado natural, o ser humano é dominado pela sua natureza pecaminosa, tem grande prazer no pecado e não pensa em se afastar dele. Não há fome e sede de justiça, é escravo do pecado e o pratica deliberadamente. (Jo 8:34, Ef 2:3, Rm 3:9-18)

E o cristão, mesmo tendo sido regenerado, ainda possui uma natureza carnal (Gl 5:17; Rm 7:18). A culpa e a penalidade do pecado foi de todo removida, ele está plenamente justificado, porém a semente da corrupção ainda permanece, o pecado original persiste, de modo que o cristão só será plenamente livre da presença do pecado na glorificação final. Assim, observamos de modo claro nas Escrituras que há estes dois princípios operando no crente: a carne, que é a sua natureza pecaminosa, e o Espírito, que operou a regeneração e que habita nele. Podemos dizer que, na conversão de um homem, a carne é gravemente ferida, porém a sua influência continua existindo.

A presença do Espírito na vida do cristão explica o porquê dele viver uma vida de santificação e temor de Deus. Este Espírito opera eficazmente nele, trabalha profundamente em seu coração e o leva a amar e buscar a Deus. E a continuidade da presença da “carne” também nos dá o motivo pelo qual os filhos de Deus ainda enfrentam dificuldades no seu processo de santificação, caem em tentações e ficam aquém do estado em que tanto gostariam de estar.

Talvez você, meu irmão, esteja com problemas na sua batalha pessoal contra o pecado, e com a graça de Deus quero mostrar a você algumas verdades para o consolo e fortalecimento do seu coração. Há um texto clássico sobre o assunto, que é o que está na carta de Paulo aos Filipenses, capítulo 2, versos 12 e 13:

“(...) desenvolvei a vossa salvação com temor e tremor; porque Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar, segundo a sua boa vontade.”

Este texto fala do desenvolvimento da nossa salvação, que é um outro modo de se referir à santificação, e ele nos apresenta duas facetas desse processo: o dever do cristão e o agir de Deus; a parte do homem e a parte de Deus.

O papel do crente na santificação
A santificação é um processo que exige grande esforço do cristão. Enquanto a regeneração é uma ação instantânea e totalmente divina onde o homem é passivo (Ef 2:1), a santificação requer uma participação humana ativa. Dentre muitos textos, seleciono dois que demonstram claramente qual é o papel do filho de Deus: “Fazei, pois, morrer a vossa natureza terrena” (Cl 3:5) e “Exercita-te, pessoalmente, na piedade” (1 Tm 4:7).

Em outras palavras, devemos mortificar a carne e alimentar o nosso espírito. Se alimentarmos a nossa natureza perversa, ela se tornará cada vez mais forte e freqüentemente cairemos, mas se nutrirmos a nossa natureza espiritual, certamente seremos vitoriosos contra o pecado.

A nossa natureza terrena se fortalece sempre quando damos lugar à carne e relaxamos nos nossos deveres espirituais. Quando deixamos de lado a oração, o estudo e meditação nas Escrituras, a comunhão com os irmãos, enfim, aqueles meios pelos quais Deus nos concede graça, a carne ganha força. Isso também acontece quando passamos a permitir que as coisas do mundo entrem em nosso coração, que a sua filosofia ganhe algum espaço em nossa mente, que os seus caminhos influenciem a nossa vida.

Por isso, meus irmãos, eu os conclamo a se exercitarem na oração e jejum. Orem sem cessar, estejam sempre em espírito de oração. Quanto mais estivermos em comunhão com Deus, mais nos deleitaremos Nele e aborreceremos o pecado. Não desprezem também a leitura da Palavra! É na Bíblia que encontramos consolo e força para caminhar, é ela quem nos mostra a vileza do pecado e a santidade de Deus. Louvem o Seu nome em todo tempo, porque Ele habita em meio aos louvores e inspira a gratidão que nos impede de pecar contra o Senhor. Estejam sempre na comunhão dos irmãos, porque eles são nossos companheiros de corrida, que nos ajudam e precisam da nossa ajuda. Se envolvam com a obra de Deus, pratiquem o bem, ocupem a mente com pensamentos santos, e não terão tempo para as maldades do mundo.

Devemos estar em constante vigilância, irmãos. “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação”, disse o nosso Senhor. O pecado não dá trégua, o velho homem está sempre à procura de uma oportunidade para vir à tona. O diabo está sempre colocando as suas armadilhas para nos fazer cair, por isso temos sempre que resistir. Não se deixe tomar pelo sono, esteja com os olhos bem abertos, fique atento!

Precisamos continuamente nos encher do Espírito Santo, pois Ele é o nosso Aliado contra o pecado. Se há um texto bíblico que resume tudo isso que temos dito, é este: “andai no Espírito, e jamais satisfareis à concupiscência da carne” (Gl 5:16).

O papel de Deus na santificação
Falamos do dever do cristão na santificação, mas graças a Deus, meus irmãos, não estamos sozinhos na batalha. O Deus que iniciou a Sua boa obra em nós não nos desampara nunca, e a Sua mão está continuamente operando em nosso favor. Lemos em nosso texto que “Deus é quem efetua em vós tanto o querer como o realizar”, ou seja, Ele opera em nossos corações e nos torna desejosos a perseverar na santidade. Ainda que haja o nosso esforço, tanto o nosso querer como o nosso realizar provém Dele, é Ele quem está agindo em nós maravilhosamente. É como diz o profeta Ezequiel: “Porei dentro de vós o meu Espírito e farei com que andeis nos meus estatutos, guardeis os meus juízos e os observeis” (Ez 36:27).

Há outros textos bíblicos que mostram a ação de Deus no processo da santificação, o Seu poder em nossas vidas, e quero citar alguns deles para a sua consolação.

O apóstolo Paulo, na sua grande exposição sobre a segurança eterna dos santos, disse que “o Espírito, semelhantemente, nos ajuda em nossa fraqueza; pois não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis” (Rm 8:26). Ah, meus irmãos, o Espírito Santo é o nosso Grande Companheiro na vida cristã, e Ele nos ajuda em todas as nossas fraquezas. É Ele quem nos faz vencer o pecado e nos levanta quando caímos!

Lemos também que o poder de Deus “se aperfeiçoa na fraqueza” (2 Co 12:9). Cristão, talvez você esteja olhando para você mesmo e contemplando um cristão cheio de fraquezas e falhas, mas eu o desafio a olhar para o poder de Deus que opera em você. Sim, o poder “que Ele exerceu sobre Cristo, ressuscitando-o dos mortos” (Ef 1:20), esta “suprema grandeza do Seu poder” (Ef 1:19) está em atividade em nossas vidas!

E que dizer de Hebreus 4:15-16? “Porque não temos Sumo Sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas; antes, foi Ele tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”. Você percebe que Jesus sabe o que é ser tentado? Ele foi grandemente tentado em todas as áreas, por isso Ele entende o quão difícil é suportar a tentação e pode se compadecer de nós para nos ajudar. Cristão, por acaso as tentações tem sido muito violentas e você tem sucumbido diante delas? O Seu Salvador se compadece de você, então vá com ousadia ao trono da graça e implore a Sua ajuda! Ele socorre você!

Regozijem-se no Senhor, filhos de Deus! “Ora, Àquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos apresentar com exultação, imaculados diante da sua glória” (Judas 24). “O mesmo Deus de paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo. Fiel é o que vos chama, o qual também o fará.” (2 Ts 5:23,24). “Todo aquele que é nascido de Deus vence o mundo” (1 Jo 5:4).

E quando eu cair em pecado, o que farei? “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo, para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda injustiça” (I Jo 1:9)! Aleluia!

Conclusão
Enfim, meus irmãos, falamos um pouco sobre a nossa batalha diária contra o pecado. Vimos que temos o dever de nos esforçar, e que ao mesmo tempo Deus nos ajuda tremendamente. Qual será a sua reação diante dessas verdades? Você que tem caído em pecado e está em sonolência espiritual, continuará a ser relaxado em sua vida? E você que tem se desesperado porque não tem conseguido vencer certos pecados, vai ignorar o Deus que o ama e ajuda?

Com esse tema terminamos nossa série sobre a santificação, que o Senhor abençoe os leitores tremendamente, e que todos nós carreguemos como bandeira a “santidade ao SENHOR”!

Nenhum comentário:

Postar um comentário